DeficiênciaSaúdeVisual

Biotecnologia

Retina artificial poderá devolver visão à cegos

Loading Likes...

Protótipos de visão artificial

Yael Hanein, diretora do Centro de Nanociência, Nanotecnologia e Nanomedicina da Universidade de Tel Aviv, apresentou recentemente os resultados da investigação que levou a cabo nos últimos 10 anos, com o objetivo de criar uma retina artificial para substituir a ação dos fotorrecetores naturais do olho, quando destruídos por degeneração macular relacionada com a idade (DMI).

Segundo o site Israel Notícias, “os protótipos de visão artificial foram desenvolvidos e testados no laboratório, mas eram muito grandes e volumosos para uso cirúrgico”, afirma a investigadora. “O desafio era desenvolver algo compacto que pudesse ser inserido precisamente no olho e colocado na retina”.

Para tal, os investigadores do laboratório utilizaram nanotubos de carbono, dentro dos quais são introduzidos os componentes fotossensíveis. Integrados com um polímero biocompatível, estes nanotubos podem criar o campo elétrico de estimulação retiniana necessária.

Tecnología judía: Biotecnología devuelve vista a los ciegos

Esta pesquisa foi apresentada em um dia internacional de estudos organizado em Londres pelo Solve for X, o laboratório de idéias lançado pelo Google, para promover projetos de inovação  e para enfrentar os principais desafios científicos com tecnologias de ponta (chamados “Moonshots Projects” entre ciência e ficção científica).
A DMRI, degeneração macular relacionada à idade (em inglês) é uma doença causada pela deterioração progressiva da mácula, a parte central da retina, causando comprometimento visual acima de 50 anos e mais frequentemente após 65 anos.

Com o aumento da longevidade nos países desenvolvidos, cada vez mais pessoas sofrem dessa doença, o que prejudica seriamente ou totalmente as habilidades de leitura, escrita e reconhecimento facial.

Fonte: Israel notícias
Fotos: Ilustrativas / divulgação

 

 

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados

Veja Também

Fechar