ABC das doenças

Alimentação Complementar, por que aos seis meses de vida?

Alimentação complementar iniciada precocemente pode desencadear diversos tipos de alergias

Loading Likes...

Desenvolvimento neurológico e cognitivo

De acordo com o Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, publicado em 2012, a alimentação complementar deve ser iniciada a partir de seis meses de vida para bebês que mamam no peito e que fazem o uso de fórmulas infantis, sempre tendo cautela com os que nasceram com menos de 36 semanas de gestação, os prematuros. Nessas situações, é importante trabalhar com a idade corrigida do bebê, que é a idade ajustada ao grau de prematuridade em comparação ao tempo de uma gestação de 40 semanas; ou seja, por meio de um cálculo, é determinada a idade que o bebê teria se houvesse nascido de 40 semanas.

É somente em torno de seis meses que a criança apresenta um estágio de desenvolvimento neurológico e cognitivo que a permite iniciar a alimentação complementar. A criança começa a apresentar os seguintes sinais de prontidão:

  • o bebê pode sentar-se bem sem apoio (ou com mínimo apoio), tendo o controle total da cervical (cabeça firme);
  • o bebê perdeu o reflexo de protusão da língua e não empurra automaticamente os alimentos sólidos para fora da boca com a língua;
  • o bebê está pronto e disposto a mastigar;
  • o bebê está desenvolvendo o movimento de pinça com os dedinhos, tentando pegar os alimentos ou outros objetos com o polegar e o indicador. Usar os dedos para raspar e prender o alimento na palma da mão (preensão palmar), não substitui o desenvolvimento de pinça;
  • o bebê está ansioso para participar da hora das refeições e pode tentar agarrar a comida e colocá-la em sua boca, mostrando interesse pelos alimentos.

Além desses sinais de prontidão, existe um motivo fisiológico para esperar até os seis meses, que não é possível avaliar pelos sinais. O intestino e o sistema gastrointestinal precisam estar prontos para a produção de enzimas digestivas em quantidades adequadas, de modo que esteja preparado para receber os alimentos e não cause nenhum mal-estar ao bebê.

A alimentação complementar iniciada muito precocemente, pode desencadear manifestações alérgicas como dermatite, bronquite, esofagite, entre outros. Além disso, como há um rápido declínio no consumo do leite materno, o bebê deixará de receber os benefícios desse leite muito cedo, colocando em risco a saúde da criança.

Fonte: Thalita Cardoso, Graduada em Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Pós-graduada em Nutição Maternoinfantil na Prática Clínica e Ortomolecular pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Estudo na Área da Saúde (Fapes).
nutri.thalitacardoso@gmail.com

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados